Workshop importante realizado na Universidade de Utah

março 31, 2013

Psicólogo SUD Lee Beckstead

Psicólogo SUD Lee Beckstead

Reduzindo diferenças religiosas e sexuais / de gênero 

by Ron Schow and Yvette Zobel

Um importante - e talvez sem precedentes - workshop de um dia sobre como eliminar diferenças religiosas e sexuais / de gênero foi realizado em 16 de março, na Escola de Trabalho Social da Universidade de Utah. Patrocinado pelo Afirmative Therapist Guild of Utah e liderado pelos terapeutas Lee Beckstead e Jim Struve, o workshop teve cerca de 90 participantes, incluindo terapeutas profissionais de uma variedade de configurações, bem como representantes de muitos dos grupos de apoio LGBT / SSA no Área entre montanhas.

O workshop começou identificando diretrizes para nossas discussões, com ênfase na necessidade de uma discussão respeitosa sobre as questões LGBT / SSA, especialmente dentro do contexto das crenças religiosas. Cerca de 20 pequenos grupos de trabalho representando várias perspectivas de suporte e terapia foram solicitados a produzir uma lista de três intervenções possíveis. À medida que cada grupo apresentava suas intervenções, todos pudemos começar a ver surgirem alguns pontos comuns em torno do respeito às diferenças.

Os líderes do workshop discutiram como podemos ficar polarizados e, em seguida, usaram uma demonstração física para mostrar como podemos passar da oposição à construção de pontes de entendimento. Todos nós nos associamos para praticar o exercício. Um parceiro iria direto para o outro quase como se o estivesse atacando. Isso representou a maneira como nos sentimos quando alguém “vem até nós” com uma visão oposta. A pessoa que está sendo “atacada” pode se manter firme, empurrar para trás ou evitar o contato. Os líderes então demonstraram uma maneira melhor: responder ao ímpeto da pessoa em relação a você virando-se com ela, talvez caminhando com ela por um tempo, depois voltando para a direção para a qual você estava indo originalmente. Isso representou o conceito de que é possível virar de maneira amigável, tentar entender a visão oposta, mas então continuar a se mover pensativamente na própria direção.

Este exercício foi seguido por uma "discussão de aquário". focou na pergunta: “Uma pessoa pode ter um relacionamento gay e ainda assim ser um membro digno e justo da Igreja SUD?” Uma voluntária compartilhou suas razões para responder "Não" e outra compartilhou suas razões para dizer "Sim". À medida que cada um dizia seu ponto de vista, o outro usava habilidades de escuta ativa para entender completamente o outro ponto de vista. Então, com a ajuda de um moderador, eles buscaram um terreno comum - uma ponte - entre suas perspectivas. No final, ainda havia diferenças de opinião, mas eles também encontraram alguns pontos em comum.

Uma discussão final de todo o grupo demonstrou algumas das diferenças significativas que ainda se mantêm (por exemplo, uma ênfase quase exclusiva para alguns no sexo como o padrão prevalecente de retidão), mas também mostrou que as pessoas e grupos que normalmente falam uns sobre os outros pode, com treinamento e boa vontade, ter conversas mutuamente respeitosas. Com isso, deixamos este workshop bem administrado com muito a ponderar - e ansiosos por oportunidades futuras de praticar nossas novas habilidades para “construir pontes” juntos.

Postado em:

Inscreva-se para receber conteúdo como este em sua caixa de entrada!

  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.

Deixe um Comentário