Presidente da Afirmação para o Daily Beast: Podemos seguir em frente, independentemente do que a igreja diga

23 de abril de 2019

Nathan Kitchen falando na Conferência Internacional da Afirmação 2018

por Joel McDonald

Em um entrevista com The Daily Beast, Afirmação Presidente Nathan Kitchen discutiu o impacto de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias revertendo sua política de 2015 que definia membros da igreja em casamentos do mesmo sexo como apóstatas e proibindo os filhos de casais do mesmo sexo de serem abençoados, batizados, ordenados , ou servindo em missões. Esta política vazou publicamente em novembro de 2015 e foi revertida em 4 de abril de 2019.

Na entrevista, Kitchen reconheceu o impacto que os membros da igreja LGBTQ que permanecem ativos na Igreja podem ter, mas também a compreensão de por que muitos deixam a Igreja para trás, dizendo que os mórmons LGBTQ que dizem na fé, “se veem como construtores de pontes e tendo algumas interações construtivas realmente boas com os membros da igreja. Mas aqueles que vão, eu saúdo [eles], eu entendo, eu sei por que isso precisa ser - não há razão para ficar por aqui e esperar pela felicidade em algum ponto distante no futuro. ”

Falando sobre o diálogo contínuo da Affirmation com a Igreja, Kitchen enfatizou que “fazer lobby com a igreja não funciona. Eles vão fazer o que vão fazer. Mas o que estamos fazendo é apenas dizer: 'Veja-me, ouça minha história'. ”Em resposta à reversão da política, ele convidou membros da comunidade da Afirmação a enviar histórias e reações, dizendo à comunidade que queria“ ter certeza A afirmação não esconde você ou suas histórias à medida que avançamos. ” Mais de quarenta histórias foram enviadas e publicadas no site da Afirmação, e eles podem ser lidos aqui.

“Nunca podemos voltar como uma comunidade”, disse Kitchen, “porque este evento nos mudou. Nós avançamos, eu acho, mais fortes e mais resilientes e mais conscientes de nós mesmos por causa do que vivemos nos últimos três anos e meio na igreja. Acho que precisamos ter orgulho do que suportamos e pelo que passamos ”, Kitchen continuou,“ e perceber que podemos seguir em frente, independentemente do que a igreja diga ”.

Postado em:

Inscreva-se para receber conteúdo como este em sua caixa de entrada!

  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.

2 comentários

  1. David Bsker em 23/04/2019 às 1:10 PM

    Comentários excelentes.

    Estou impressionado com o irmão Kitchen.
    Vejo um grande crescimento para Afirmação.

  2. John em 24/04/2019 às 11:48 AM

    Fico feliz que vocês finalmente tenham percebido isso: “fazer lobby com a igreja não funciona. Eles vão fazer o que vão fazer. ”

    Também fiquei feliz em ler isto: “para ter certeza de que a Afirmação não esconda você ou suas histórias à medida que avançamos”.

    Já fui membro da Affirmation nos anos 80. A organização me ajudou muito a lidar com minha excomunhão e a aceitar minha sexualidade. Sinceramente, não teria conseguido sem você. Eu também fiz algumas conexões na Afirmação que eventualmente me levaram a conhecer meu futuro parceiro e marido de 34 anos. Portanto, estou duplamente endividado.

    Mas, naquela época, tive problemas com o fato de que tudo o que a Afirmação fazia naquela época era anônimo, os membros estavam se escondendo da Igreja e, ao mesmo tempo, a organização estava sugando a Igreja. Eu trabalhei no boletim informativo para o capítulo de LA por um tempo. Costumávamos enviar o boletim informativo em uma embalagem marrom comum, sem endereço do remetente. Os membros da Afirmação tinham medo de usar seus nomes verdadeiros uns com os outros por medo de perder a adesão.

    Essas foram algumas das muitas razões pelas quais acabei saindo da Afirmação e segui em frente. Estou feliz que aqueles dias de medo e esconderijo por você tenham finalmente acabado.

    Espero que ninguém em Afirmação sinta que Deus os ama menos por terem deixado a Igreja. O fato é que o Senhor nos ama mais do que podemos imaginar; o tão elogiado “plano” é muito maior do que as mentes pequenas podem compreender; e há um lugar para cada um de nós na família de Deus.

Deixe um Comentário