Dois graus fora do centro: Vivo e Bem

12 de julho de 2021

Dois graus fora do centro”É um blog de Rich Keys sobre as lutas pessoais, problemas e tópicos que falam da experiência SUD / LGBT. Às vezes será sério, às vezes engraçado, mas sempre abordará as coisas de uma perspectiva ligeiramente diferente.

Barcos de papel

por Rich Keys

Já se passaram seis meses desde meu último blog. Naquela época, alguns de vocês podem ter me relegado ao status de “o que quer que tenha acontecido com ...”, outros podem ter me esquecido completamente e outros ainda podem ter temido sinceramente o pior. Todos vocês merecem uma explicação. Eu nunca abandonaria um relacionamento, mesmo que fosse entre escritor e leitor. Para mim, o fantasma é uma das coisas mais rudes que uma pessoa pode fazer, mas é muito fácil na cena de namoro digital de hoje ... apenas bloquear ou diferenciar ou rotular o que chega como spam e deixá-los descobrir. Eu acredito que você merece melhor.

Em primeiro lugar, como o título indica, estou vivo e bem. Nunca tive sintomas de Covid, estou totalmente vacinado (obrigado, Dr. Fauci), meu exame de sangue de rotina voltou bem e meu médico está muito feliz comigo. Não salto em prédios altos como costumava fazer, mas também não preciso de andador ou cadeira de rodas. Minha mente ainda está afiada, com os pensamentos aleatórios vindo da esquerda para a direita, e minhas criaturas idiotas ainda me apóiam e sustentam a mim e a muitos outros ao meu redor.

Então o que aconteceu?

Nossas jornadas, tanto aqui na terra quanto na eternidade, são fluidas. Ninguém fica parado. Estamos constantemente evoluindo de muitas maneiras, às vezes tão minúsculas que nem percebemos. A família de Leí era muito diferente no final de sua jornada para a terra prometida do que em Jerusalém, mas suas mudanças diárias podem nem ter sido notadas.

Minha jornada com este blog de Afirmação começou com uma premissa simples… tentar entender a interseção de SUD e LGBTQ +, como as peças se encaixam e como lidar quando não o fazem. Também jurei não me afastar muito do cruzamento porque me transformaria em uma causa, tomando partido e defendendo algo, e é aí que as coisas ficam mais do que dois graus fora do centro. Quando percebi que era gay, perguntei sinceramente a meu Pai Celestial muitas coisas básicas sobre o que fazer, mesmo se deveria permanecer na igreja, frequentar outra igreja, ficar inativo ou sair totalmente da religião organizada e traçar meu próprio curso com sua ajuda. Ele declarou claramente que eu deveria ficar na igreja porque seria melhor para o trabalho especial que Ele tinha para mim. O cara sempre esteve certo antes e me protegeu, então segui Seu conselho, e valeu a pena discutir aqui de muitas maneiras. Muitos de vocês deixaram a igreja, outros nunca foram SUD, e eu os amo e aceito totalmente onde quer que estejam. O amor pelo próximo, independentemente de quem, o quê ou onde você esteja, é uma das grandes bênçãos que recebi desde que assumi. E alguns de vocês são heterossexuais. Tudo bem também. Eu realmente amo pessoas heterossexuais. Alguns dos meus amigos mais próximos são heterossexuais. Eu até deixaria meu filho ou filha se casar com uma pessoa heterossexual. É aí que você está em sua jornada, e este é o meu.

A interseção de SUD e LGBTQ + também é o foco da Afirmação, então meu blog se encaixa muito bem com eles. Mesmo que nem sempre tenham concordado, sempre me deram liberdade de expressão e sou grato. Mas percebi que era cada vez mais difícil para mim ter novas ideias naquele cruzamento. Eu pensava em uma ideia, a colocava por escrito e ia para o meu arquivo Trabalho em Andamento com todas as outras ideias que nunca foram concluídas. As ideias pararam de fluir livremente em minha mente e tentei descobrir por quê. Doença? Não. Não dormiu o suficiente? Não. Pecado? Não, eu ainda estava pecando, mas o Espírito não havia se retirado, então eu sabia que não era isso. Entrei em pânico na primeira vez que perdi meu prazo mensal, mas nem tanto a cada prazo subsequente, conforme o bloqueio do escritor continuava.

Ao mesmo tempo, percebi que estava ficando mais focado e opinativo sobre a política e as questões sociais de nossos dias ... impeachments, insurreições, eleições, racismo sistêmico, imigração, pandemias, gerenciamento por Zoom, os Vaxxers vs os Anti-Vaxxers vs os Anti-Anti-Vaxxers (que soa mais como tribos do Livro de Mórmon do que eventos atuais), e a deterioração geral da sociedade nos últimos dias. Mas nada disso se conectou com a interseção de LDS e LGBTQ +. Eu poderia forçar as peças a se encaixarem e publicar algo, mas seria artificial, algo como queijo artificial passando por coisa real.

Eu também encontrei saídas em minha vida pessoal para expressar esse meu lado. As portas se abriram de todas as maneiras, de Boston a Oakland online, bem como pessoalmente. Um casamenteiro intelectual em minha ala me apresentou on-line a um cara que adora pensamento crítico, e desenvolvemos um relacionamento como o filme "Meu Jantar com Andre", apenas enviando e-mails e mensagens de texto para frente e para trás sobre o que quer que venha à mente pela alegria absoluta de compartilhar e aprender uns com os outros, e isso me estimulou muito, então eu sei que a mente ainda pode produzir os pensamentos e expressá-los criativamente e ainda ver as coisas dois graus fora do centro, mas o foco mudou.

Portanto, é hora de minha jornada seguir em frente e esta é minha última entrada no blog para Afirmação. Algumas idéias para continuar minha autoexpressão e opinião já estão chamando minha atenção, um lembrete de Deus de que Ele ainda conhece e ama Seus filhos, não importa onde estejamos em nossa jornada. A afirmação também está evoluindo e já vejo comentários de outras pessoas no site e no Messenger que cobrem todo o espectro dessa interseção, de Nathen, nosso presidente, ao membro mais novo, na menor aldeia, do país mais distante, que encontra aceitação, amor e apoio aqui, e percebe que encontrou o lar, e sua opinião conta.

Portanto, permaneça no norte verdadeiro, encontre o seu eu autêntico e continue encontrando-o. Tente se ver um pouco mais como Deus o vê e confie menos no mundo para defini-lo. Faça amizade com alguém que não é como você. Encontre algo que precise ser sacudido e faça o que puder, mas comporte-se. Continue aprendendo e se perguntando o que está lá. Brinque bem com os outros, compartilhe seus brinquedos e todas as outras coisas que aprendemos no jardim de infância. Eles ainda são verdadeiros. E quando tudo mais falhar, experimente o amor ... não o amor falso deste mundo, mas o amor cristão, o amor que dá sem amarras, sem segundas intenções e, no final das contas, prevalece, seja com seu vizinho ao lado ou uma pessoa especial em sua vida. Há um filho de Deus em cada um de nós, e cada um de nós tem o poder de fazer nossa luz brilhar um pouco mais forte para os outros neste mundo escuro e sombrio.

Se você gostou desta postagem, certifique-se de conferir todas as postagens no Dois graus fora do centro série de blogs.

Receba o boletim eletrônico da Afirmação com conteúdo como este em sua caixa de entrada!

1 comentário

  1. Connie Rau em 17/07/2021 às 8:54 AM

    Muito bem dito, Richard ❤️

Deixe um Comentário