Medo, Preconceito e Falta de Conhecimento

30 de novembro de 2018

HIV AIDS, discriminação de culpa

por luiz correa

Por mais de 30 anos, uma doença se espalhou pelo mundo passando como um grande tsunami, tirando milhões de vidas e deixando famílias e amigos de luto.

O HIV / AIDS há muito é considerado a doença de homossexuais, viciados em drogas e profissionais do sexo. No entanto, o risco de infecção não se limita a nenhum grupo específico. Seja homossexual ou heterossexual, cisgênero ou transgênero, ou queer, o risco de infecção é real. Muitos jovens não se importam com o risco de transmissão e deixam de fazer o teste ou procuram o tratamento necessário.

Devido à falta de informação ou ao estigma em torno do HIV, muitos jovens não fazem o teste. Por causa disso, o tratamento é adiado por aqueles que podem estar infectados.

Embora os brasileiros tenham acesso ao melhor tratamento para HIV / AIDS do mundo de acordo com a Organização Mundial da Saúde, a exclusão social e o preconceito contra pessoas com HIV / AIDS continuam sendo uma barreira significativa para a prevenção, o teste e o tratamento.

Ninguém quer receber a notícia de que tem HIV, mas é nessa época que mais se precisa do apoio da família e dos amigos. Muitos dos que são diagnosticados se sentem solitários e isolados.

No artigo Aids e direitos humanos, escreve o jornalista Paiva Netto, “Se a pessoa se sentir humanamente amparada, criará uma espécie de resistência interior muito forte que ajudará na recuperação ou resiliência face à dor. Costumo dizer que o vírus do preconceito ataca mais do que a doença ”.

O medo e as dúvidas de ser discriminado por familiares e amigos fazem com que muitos escondam a doença. Incapazes de enfrentar o preconceito dos próximos, abandonam o tratamento.

Embora as informações corretas sobre como o HIV é transmitido estejam amplamente disponíveis, muitas pessoas ainda temem a infecção pelo simples fato de serem tocadas por alguém com HIV. Essa falta de compreensão deve ser combatida por meio de campanhas para informar os fatos e que quem vive com HIV nunca deve ser estigmatizado. Devemos trabalhar para acabar com a discriminação contra pessoas HIV-positivas, removendo a discriminação como uma barreira para a prevenção, teste e tratamento.

Em seu livro Reflexões da Alma, o escritor Paiva Netto afirma: “O organismo humano é a máquina mais extraordinária do mundo, mas falha. Mas com amor, até os remédios são melhores. ”

Dia Mundial da AIDS ocorre no dia 1º de dezembro de cada ano. É uma oportunidade para as pessoas em todo o mundo se unirem na luta contra o HIV, para mostrar apoio às pessoas que vivem com HIV e para homenagear aqueles que morreram de uma doença relacionada à AIDS. Links Relacionados: Seja testado, Aprenda o básico sobre HIV, Vivendo com HIVTratamento como prevenção (PrEP)

Postado em:

Receba o boletim eletrônico da Afirmação com conteúdo como este em sua caixa de entrada!

  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.

Deixe um Comentário