Afirmação, o grupo de apoio LGBT Mórmon, tem visto uma “mudança radical” nos seus 40 anos

26 de setembro de 2017

 

 

 

Por Peggy Fletcher Stack e Jennifer Dobner

Traduzido por: Luiz Correa

 

Afirmação, é um grupo de apoio aos Mórmons LGBT, nasceu em 1977, numa época em que aceitar a atração pelo sexo mesmo entre os fiéis SUD era uma questão de turbulência interna, profunda vergonha e rejeição religiosa, mesmo uma causa de suicídio.

 

Naquela época, a Igreja Mórmon considerava a homossexualidade como perversa e pecaminosa, e seu amor como ímpio. Qualquer aceitação de membros homossexuais foi tratada com extrema cautela.

 

Agora, 40 anos depois, poucos de membros LGBT e ex-membros da igreja, suas famílias e amigos, celebram o aniversário da Afirmação abertamente e com entusiasmo em uma conferência de três dias no Centro de Convenções Utah Valley em Provo - muitos antes de sua homossexualidade e a fé Mórmon.

 

O grupo tem um diretor executivo de tempo integral, John Gustav-Wrathall, membros em mais de uma dúzia de países e, até o final de 2017, organizarão 19 eventos, incluindo reuniões regionais e esta reunião nacional anual.

 

Nesta reunião, que começou na sexta-feira, houve formação para jovens, mães, pais, aliados, defensores, pessoas de cor, cônjuges e líderes eclesiásticos. Os participantes podem apresentar apresentações que melhor se adaptem às suas necessidades, seja mórmon ativo, pós mórmon, não mórmons, cristão, espiritual, mas não religioso ou ateu. No domingo, último dia da conferência, os participantes podem se juntar a um coro, praticar Yoga ou participar de um espiritual devocional.

 

“Uma das necessidades mais urgentes do mórmon LGBT é dar sentido às contradições entre sua educação religiosa ou sua fé como Mórmons e sua experiência vivida como desejado LGBT”, disse a presidente da Afirmação, Sara Jade Woodhouse, em um comunicado de imprensa. “A afirmação atende às duas necessidades através de uma comunidade vibrante em que os requisitos podem se conectar e encontrar suporte em qualquer caminho de reconciliação e cura que eles escolham”.

 

O grupo viu uma “mudança maciça no mar”, diz Gustav-Wrathall, em relação entre a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias e seus membros homossexuais.

 

“Há dez anos, o assunto da experiência LGBT no Mormonismo era simplesmente um tabu”, diz ele. “Agora há uma avalancha de argumentos que acontecem todos os dias”.

 

Houve uma época “quase impossível para uma pessoa LGBT sair do armário do púlpito”, diz ele. “Agora isso acontece com bastante frequência.

 

A afirmação começou como um simples esforço por parte dos ativistas da Universidade Brigham Young para garantir aos Mórmons homossexuais que eles eram amados e não estavam sozinhos, enquanto tentavam impedir que eles se suicidassem. Em pouco tempo, os capítulos apareceram em Salt Lake City, Denver, Los Angeles, todo o país e finalmente em todo o mundo.

 

Assim como muitos membros da Afirmação abraçaram novamente a fé Mórmon, outros escolheram seguir seu próprio caminho para a Igreja com sede em Utah como parte de seu processo de cura.

Postado em:

Receba o boletim eletrônico da Afirmação com conteúdo como este em sua caixa de entrada!

  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.

Deixe um Comentário