O arquiteta de templo transgênero da religião mais americana

18 de dezembro de 2020

por Nathan Kitchen

No início deste ano, o escritor da Atlantic Magazine, McKay Coppins, recebeu um entrevista com o Presidente da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, Russell M. Nelson, para explorar o aniversário do bicentenário da igreja.

O artigo resultante foi saudado como “o artigo mais importante em uma revista sobre A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias em mais de uma década, ”E tem se mostrado muito atraente para os mórmons de todos os matizes, que olham para si mesmos e para sua identidade de 200 anos no espelho do reflexo nacional.

Afirmação foi mencionada neste artigo como parte da conversa, mas há uma parte extremamente significativa desta peça que pode passar despercebida pelo público em geral. É um fato que devemos estar cientes e do qual podemos estar extremamente orgulhosos como comunidade navegando no cruzamento LGBTQIA + / SUD: a foto que acompanha o artigo do Atlântico sobre a Igreja é o Templo da Montanha Oquirrh, o projeto e a construção dirigido por Laurie Lee Hall, ex-arquiteto-chefe dos templos de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.

Apesar de seus prédios de tirar o fôlego, ícones físicos de uma igreja conectando o céu à terra, ela foi forçada a deixar sua posição por nenhuma outra razão além de ser uma mulher transgênero.

Laurie compartilhou: “Houve um tempo em que eu podia me relacionar totalmente com Moisés no filme clássico Os dez Mandamentos, quando Sethi disse, 'Que o nome de Moisés seja removido de cada livro e tábua, retirado de todos os postes e obeliscos, retirado de todos os monumentos do Egito. Que o nome de Moisés não seja ouvido nem falado, apagado da memória dos homens para sempre. '

“Também foram feitas tentativas de eliminar meu nome, minha voz e qualquer conexão com meu trabalho e serviço dentro da igreja.

“No entanto, o tempo mostrou que, assim como meus esforços não serão apagados, as pessoas transgênero dentro e fora da igreja nunca serão apagadas; somos indivíduos válidos e dignos, que fazem enormes contribuições para as comunidades às quais podemos pertencer. ”

É apropriado que uma foto de seu trabalho seja a manchete de um artigo tão importante que reconhece "talvez nenhuma questão tenha provocado mais debate dentro da Igreja do que o tratamento das pessoas LGBTQ".

De fato.

Depois de aprender sobre a conexão de Laurie com este templo, Adam Maughan, um membro do Conversas da Comunidade de Afirmação O grupo do Facebook escreveu: “Quando entrei no templo, todos esperavam que eu passasse pelo Templo de Logan, pois era o mais próximo de minha casa. Por alguma razão, senti uma forte atração para ir até o Templo da Montanha Oquirrh. Eu não sabia até hoje que Laurie Lee Hall estava conectada a isso, mas gosto de pensar que, embora meu relacionamento com a igreja não exista mais, meu criador estava me atraindo para 'meu povo' ”.

Como vice-presidente sênior de Afirmação, Laurie trouxe seus talentos, descartados pela igreja, para construir e conectar almas LGBTQIA +, suas famílias e amigos que se abrigam sob a casa que ela ajudou a construir em Afirmação.

Obrigada, Laurie. Você e sua voz não serão apagados.

Receba o boletim eletrônico da Afirmação com conteúdo como este em sua caixa de entrada!

  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.

1 comentário

  1. Mary em 09/04/2021 às 9:24 PM

    That’s the temple my wife and I got married in!! She’s trans, too!
    I’m so happy!!!!

Deixe um Comentário