Neste tempo de dor, estamos juntos

12 de junho de 2016

A vida é preciosa e frágil. Cada pessoa no planeta é parte de um tecido humano que nos envolve e nos reveste de contexto, valor individual e identidade. Quando ocorre um ataque motivado pelo ódio, ele nos lembra de novo de nossa vulnerabilidade humana e nossa necessidade de buscar a inclusão e abraçar uns aos outros novamente nos braços do amor e da segurança.

A violência sem sentido que ocorreu esta manhã em Orlando aumentou o sentimento particular de vulnerabilidade com que as pessoas LGBTQ + vivem todos os dias. O fato de o pai do atirador ter relatado antagonismo em relação à comunidade LGBTQ + por parte de seu filho nos lembra que amar quem amamos e ser quem somos é visto por pelo menos alguns como justificativa suficiente para esses tipos de atrocidades.

É um lembrete para todos nós da importância vital de toda a comunidade mundial se unir contra todas as formas de ódio e intolerância, para construir uma comunidade amada onde ninguém precisa temer ser destacado por quem eles são, por causa de como eles adoram , ou por causa de quem eles amam.

Agradecemos as expressões de solidariedade com a comunidade LGBTQ + que já vimos. Oramos para que, nos próximos dias, as pessoas continuem a se unir de maneiras que afirmam que cada vida é importante, que aqueles que foram feridos e assassinados sem sentido são de fato uma parte vital de nossa família humana.

Cada alma deixou uma impressão de vida, cada uma amou e foi amada, e cada uma se perderá profundamente entre nós.

A Diretoria de Afirmação: Mórmons, famílias e amigos LGBT

Postado em:

Receba o boletim eletrônico da Afirmação com conteúdo como este em sua caixa de entrada!

1 comentário

  1. Nevrohirurgiq em 07/07/2016 às 6:04 AM

    Bênçãos para você! Eu realmente apoio as pessoas LGBT, muitos dos meus amigos também são LGBT. Eu rezo por você. E para que as pessoas finalmente entendam você e apreciem você como qualquer outra pessoa na terra. Porque você não é diferente de ninguém e deve ser respeitado e ter direitos iguais.

Deixe um Comentário